O efeito sanfona e a persistência do obeso

Impressionante a dificuldade que o obeso apresenta para dar continuidade à sua dieta; meus pacientes emagrecem 4 quilos, fico feliz da vida, marco um novo retôrno e pronto, engordaram os 4 quilos novamente e falam com a maior cara-de-pau: dei uma relaxadinha no final de semana; o que fazer com estes comilões que estão acabando com a saúde? não estou falando de uns quilinhos a mais não, são pacientes com IMC acima de 30 (obesidade I, II).

Um exemplo de como a obesidade influencia no sistema cardiovascular: um paciente meu hipertenso grave e IMC 40, usava 5 anti hipertensivos por dia, indiquei a cirurgia bariátrica e voces sabem quantos medicamentos ela toma agora? UM! E, com certeza, vou tirar este também.

Emagrecimento, dieta, continuidade do tratamento exigem persistência e disciplina, senão, o efeito sanfona está de plantão.

Um ano e um mes sem doces

O sacrifício está valendo, pois, no final do ano só engordei um quilo com toda a comilança; emagreci este um quilo e agora entrei na curva descendente.

Já me acostumei sem os doces normais e os light/diet quebram bem o galho; a projeção é que eu emagreça mais 10 kg este ano. Tentaremos.

Um ano sem doces! a proposta está cumprida, renovada e ampliada.

Completo, no dia de hoje, um ano sem doces e foi mais fácil do que o esperado; alguns objetivos foram atingidos, perdi peso, no total 10 kg e me adaptei a não comer doces; estes dez quilos foram perdidos exclusivamente com a retirada dos doces da minha dieta, pois, não fiz qualquer restrição alimentar e nem pratiquei exercícios.

Renovo a intenção para 2014, porém, procurarei aperfeiçoar a dieta e praticar vinte minutos de caminhada todos os dias; meu propósito é enxugar mais dez quilos; tudo pela saúde.

Feliz ano novo para os nossos milhares de leitores e obrigado pela companhia; um fraterno abraço a todos.

hamilton bassi

obs- minha filha Paula teve mais dificuldades, porém, continua na busca da dieta ideal para o seu caso.